Vídeo da Semana #24

Sabe uma coisa que é super difícil de fazer em cena e que quase ninguém nota? Expressão nos movimentos – ou artistry, em inglês. Isso vale demais especialmente nos papéis mais figurativos (porém igualmente importantes!) como Don Quixote, o paxá n’O Corsário, o bruxo Rothbart em O Lago Dos Cisnes, a mãe de Lise, em La Fille Mal Gardée, e por aí vai.

O vídeo selecionado foi do ensaio da entrada de Carabosse, a bruxa d’A Bela Adormecida, no batizado da princesa Aurora. Para quem não sabe/lembra, Carabosse não foi convidada para a festa e se vinga amaldiçoando a princesa, condenando-a à morte ao espetar o dedo no fuso de uma roca. Drama puro! Se a bailarina ou bailarino não forem muito bem treinados, a principal cena do prólogo vai ser passada em branco. E ninguém quer que isso aconteça, né?

Aviso aos navegantes: A Bela Adormecida é o meu ballet preferido de todos os tempos e teremos muitos posts ainda sobre esse repertório. Me julguem!

beleza
Riqueza nos dedos e no olhar (Foto: Reprodução / YouTube)

 

Voltando ao vídeo: essa é uma produção do Royal Ballet, em que a bailarina Kristen McNally, que até então nunca tinha atuado como Carabosse, ensaia sob a supervisão da répétiteuse (quem remonta os repertórios) e diretora do Royal, Monica Mason.

Uma das primeiras coisas que Monica faz é contextualizar a personagem para Kristen. Ela explica que, nessa produção, a Carabosse “acredita ser a fada mais linda do reino e sente-se bem consigo mesma”, diferentemente de outras montagens, em que ela é caracterizada como uma velha feiosa. Isso se reflete no bastão / bengala que ela usa.

morreaurora
Carabosse amaldiçoa Aurora com a morte (Foto: Reprodução / YouTube)

“Você não vai se apoiar nesse bastão. É uma peça adicional de poder”, diz a diretora. Acho que isso já faz toda a diferença na Carabosse de Kristen, que desde já muda a postura. Sobe o queixo, olha de cima para baixo e passa uma imagem de arrogância. Muito interessante!

A ideia segue com todos os movimentos que vêm depois. A saudação ao rei e à rainha é minha parte preferida: Monica perde um tempinho explicando por quê a reverência tem que ser de um jeito que seja visível e claro à plateia mas, ao mesmo tempo, aparente ser claramente falsa e sarcástica, dada a repulsa da Carabosse pela falta do convite à festa. Daí a gente percebe como ela simplesmente não reconhece a soberania do casal real.

Análises à parte, segue o vídeo! A conversa é toda em inglês, mas tem closed captions! Ainda assim, quem não entende ainda pode se entreter com a linguagem corporal – afinal de contas, é isso o que vale na dança! Dica de amiga: assista até o final 😉

 

Quer mais #videodasemana? Veja nosso acervo aqui!

Anúncios

Vídeo da semana #04!

Nureyev e Karen Kain em produção d'A Bela Adormecida em 1974 (Foto: Reprodução)
Nureyev e Karen Kain em produção d’A Bela Adormecida em 1974 (Foto: Reprodução / National Ballet of Canada)

E eis que temos mais um #videodasemana para carimbar a sexta-feira! Dessa vez, a sugestão foi quase uma exigência: Felipe, que vai dançar a Bela Adormecida nesse fim de semana, quis uma auto-homenagem e pediu que o vídeo fosse desse repertório.

Então tá, né? A gente quase não gosta da Bela, mesmo… 😉 Selecionei a variação masculina do 3º ato, o casamento, dançada por ninguém menos que Rudolf Nureyev (a gente já falou dele aqui, mas não custa lembrar!), em 1977, no National Ballet of Canada (também fizemos uma análise dessa companhia no World Ballet Day!).

O que eu acho que vale destacar nesse vídeo é a precisão dele nos movimentos. Nureyev também sabia equilibrar força com delicadeza como ninguém – repare que ele sempre aterrissa dos pulos sem aquele “tombo” que muitos bailarinos fazem. Os braços e as mãos estão sempre leves, como se estivessem desconectados do resto do corpo.

Essa é uma variação extremamente difícil, com muitos giros e saltos complexos. E, mesmo assim, ele não quica nem uma vez! Limpeza e técnica, a gente vê por aqui… Além disso, vale ressaltar o ar de nobreza que ele empregou para caracterizar o príncipe Florimund/Désiré.

Sem mais delongas, eis o vídeo! E queremos ver você fazendo igual, viu, Felipe?  😛

 

 

Não viu os outros? Nosso arquivo tá aí:

Vídeo da semana #03

Vídeo da semana #02

Vídeo da semana #01